Hábitos alimentares na gestação: o que a grávida pode ou não comer

Com o resultado positivo em mãos é hora de iniciar o pré-natal e tomar algumas providências, principalmente relacionadas a alimentação. São pequenos ajustes nos hábitos e alguns cuidados extras que serão importantes para manter a sua saúde e a do bebê protegidas. Aqui separamos as principais dúvidas que as futuras mães costumam ter. Confira:

Adoçante : o adoçante é indicado a princípio para gestantes com diabetes, obesidade ou ganho de peso gestacional excessivo. Os adoçantes mais recomendáveis para gestantes são o xilitol ou eritritol, pois são naturais, mas é permitido utilizar, por exemplo  sucralose, estévia ou aspartame. Vale ressaltar que o xilitol ou eritritol podem causar gases ou desconforto abdominal. É preciso atenção quanto a estes sintomas. Adoçantes com sacarina e ciclamato não são recomendáveis, pois atravessam a placenta e não se sabe quais os efeitos para a saúde do bebê. Ideal mesmo seria evitar bebidas com sabor doce tanto quanto possível ou reduzir a quantidade de açúcar. Demerara ou mascavo não apresentam nenhuma vantagem.

Peixe cru, carpaccio e carnes mal passadas: alimentos crus são totalmente desaconselháveis por serem veículos potenciais de contaminações. Este critério também vale para vegetais crus. Saladas de folhas só devem ser consumidas em casa, onde espera-se que haja um cuidado extremo com a higienização. Lavar folha a folha e deixar os vegetais numa solução de hipoclorito são medidas indispensáveis à segurança da gestante. A toxoplasmose pode ser transmitida através de vegetais mal lavados.

Carne de porco: não existe nenhuma restrição à carne de porco. Esta deve ser sempre bem cozida, de boa procedência e de preferência deve ser um corte magro como o lombo. Evitar embutidos como lingüiça é importante, pois estes alimentos contêm grande quantidade de gordura saturada e sódio.

Frutos do mar: também não existe restrição a princípio. Os critérios são os mesmos: evitar alimentos crus ou mal cozidos e fugir de riscos de contaminação desnecessários (ex: aquele espetinho de camarão na praia). Como estes alimentos costumam causar alergias para algumas pessoas, se você já teve alguma experiência neste sentido não se arrisque.

Café e chás: estes alimentos são irritantes da mucosa do estômago, portanto é melhor observar o efeito deles em seu dia-a-dia, especialmente no final da gestação. Mas não há problema em consumir moderadamente estas bebidas.

Refrigerantes, sucos diet e light: bebidas dietéticas devem ser consumidas por pessoas com restrições de açúcares. É fundamental observar quais os adoçantes contidos no produto e evitar bebidas com sacarina e ciclamato. Os sucos naturais são as opções mais indicadas, de preferência sem açúcar. Para quem tem problemas com excesso de peso ou diabetes é fundamental escolher sucos com menor índice glicêmico: morango, maracujá, acerola, limão ou frutas vermelhas – sem açúcar –  e evitar tanto quanto possível sucos de manga, laranja, uva, melancia e abacaxi pois apresentam elevado índice glicêmico.

Bebidas alcoólicas: são totalmente proibidas na gestação. Tomar um gole de champanhe em um casamento não pode ser considerado problema, mas o consumo, mesmo esporádico, deve ser abolido neste período. Tomar cerveja preta para aumentar o leite, é um dos mitos mais tradicionais entre as gestantes.

Alimentos nota 10: laticínios (no mínimo 3 porções por dia – fonte de cálcio), Carnes magras (fontes de ferro e proteínas), ovos (fontes de vitaminas A e D, proteínas de alto valor biológico e colina) azeite de oliva (inclusive para cozinhar), frutas cítricas inteiras (a vitamina C não faz depósito no corpo e deve ser consumida diariamente). Preferir sempre alimentos in natura e evitar os muito processados é a principal estratégia para uma gestação sadia. E tomar muita água!!!

Alimentos que podem provocar azia na grávida: a azia é um dos desconfortos mais comuns na gestação. Acontece geralmente no último trimestre e é decorrente da ação da progesterona, que torna o esfíncter esofágico mais relaxado, permitindo o refluxo do conteúdo ácido do estômago. É importante evitar os irritantes da mucosa do estômago como café preto em jejum, chá mate, chá preto, alimentos muito doces ou muito salgados, frituras e condimentos fortes como a pimenta. É fundamental evitar porções grandes nas refeições, visto que a capacidade do estômago está reduzida. Comer a cada três horas e em pequenas quantidades auxilia o controle destes sintomas.

Alimentos que podem causar constipação na grávida: O trânsito intestinal costuma ficar mais lento na gestação. Para reduzir o desconforto é necessário evitar carboidratos refinados (arroz branco, bolachas, pães brancos). Aumentar a quantidade fibras (chia, linhaça, frutas, feijões, vegetais em geral), incluir iogurtes com probióticos e principalmente tomar no mínimo 2 litros de água por dia são estratégias que costumam resolver o problema.

Renata Giudice de Oliveira Lewis é nutricionista formada pela USP, com especialização em Nutrição Clínica Preventiva .

Lojas Bicho Papão
Lojas Bicho Papão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *